21 de abril de 2014

Resenha - Banda: Iced Earth - Álbum: Plagues of Babylon (2014 - Shinigami Records)

Resenha por: Renato Sanson


Falar de Iced Earth e sua qualidade é chover no molhado, pois é inegável a qualidade do grupo americano, que ano após ano sempre lançam materiais de muita relevância.

E não seria diferente em seu novo disco, “Plagues of Babylon” (que chega ao mercado nacional via Shinigami Records) o 12° da carreira, e o segundo com o novo vocalista Stu Block.

O que temos em mão é simplesmente um dos melhores discos de 2014, sem exageros, mas entra fácil entre os melhores da banda.

As composições apresentadas são fantásticas, aquele misto de Metal Tradicional, Thrash e um clima épico arrebatador. Certamente um dos destaques do disco é Stu, que se mostra mais imponente e com vocalizações mais graves, mostrando todo seu potencial e senso de interpretação.

Mas o carro chefe do Iced sempre serão as guitarras, e nesse quesito o chefão Jon Shaffer dispensa qualquer comentário, pois consegue manter a identidade sonora do grupo intacta, e soa ao mesmo tempo criativo e abrasivo.

“Plagues of Babylon” também marca a participação especial de vários músicos, mas destaco seu fiel companheiro de Demons & Wizards Hansi Kürsch (Blind Guardian) que participa em diversas faixas e um dos melhores (se não o melhor) vocalistas da atualidade, o genial Russel Allen.

A produção do disco nem precisa ser comentada, pois Shaffer assina as produções do Iced já faz algum tempo, e sempre fez um trabalho perfeito, e no novo álbum não seria diferente, desta vez contando com ajuda de Kevin Paul na mixagem e Sascha "Busy" Bühren na masterização.

Em termos gráficos temos o eterno Setiano na capa (mascote da banda), em um trabalho magnífico do artista Eliran Kantor.

Bom, vamos ao que interessa o conteúdo musical do trabalho, e ai a coisa fica melhor ainda, pois se trata de um disco homogêneo, sendo complicado citar destaques, mas deixo aqui as que de alguma forma me emocionaram: “Plagues of Babylon” (épica, pesada e com guitarras ganchudas), “Democide” (um verdadeiro pataço no crânio, riffs inspirados e andamento agressivo), “The Culling” (show a parte de Stu, soando mais arrastada e melancólica) e “The End” (arranjos geniais e energia pulsante).

Enfim, fica difícil citar tais destaques em um disco que deve ser ouvido na íntegra, pois todas as faixas mantém o mesmo nível e cada uma tem sua particularidade emocional.

Ressalto a bela versão de “Highwayman” de Jimmy Webb, que conta com os vocais de Shaffer, Allen e Michael Poulsen (Volbeat), com uma roupagem mais pesada e com muito bom gosto nos arranjos.

O que posso dizer é: APROVEITEM a versão nacional, pois está muito caprichada!


Conheça mais a banda:



Tracklist:
01 Plagues of Babylon
02 Democide
03 The Culling
04 Among the Living Dead
05 Resistance
06 The End?
07 If I Could See You
08 Cthulhu
09 Peacemaker
10 Parasite
11 Spirit of the Times
12 Highwayman
13 Outro


Formação:
Jon Schaffer (Guitarra/Backing Vocal)
Stu Block (Vocal)
Troy Seele (Guitarra)
Luke Appleton (Baixo)

*Baterias gravadas por Raphael Saini


0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More