8 de outubro de 2015

Resenha - Banda: Phantom - Álbum: Psycho Minds (2015)

Resenha por: Sergiomar Menezes
Revisão/edição: Renato Sanson


Fazer Heavy Metal não é fácil. Ainda mais quando falamos de Brasil. Todos sabem das dificuldades que as bandas enfrentam para lançar seus trabalhos e, depois disso, conseguir se manter na ativa. Os motivos são muitos. Falta de qualidade por parte das bandas, mau gerenciamento da carreira, escolhas equivocadas na sonoridade... Por sorte (e também por competência) algumas bandas acertam a mão e já mostram que podem se firmar neste concorrido cenário já em seu trabalho de estréia. É o caso dos paranaenses do PHANTOM. Tendo lançado um EP em 2012 (“Where There’s Smoke, There’s Fire”), o grupo formado em 2009, chega com PSYCHO MINDS, mostrando uma sonoridade bem interessante, tendo sua base no Metal Tradicional, mas incorporando elementos modernos, sem pasteurizar seu som.

Formado por Rafael Valente (vocal e backing vocal), Leandro Ramos (guitarra e backing vocal) e Rafael Calmezini (baixo e backing vocal) – a bateria foi gravada por Iago Marcondes – o grupo traz um trabalho bem gravado e bem produzido por Madu e Victor França, onde os instrumentos ficaram nítidos e claros, sem esquecer do peso. Afinal, estamos falando de uma banda de Heavy Metal. Mesmo sem investir em inovações em sua sonoridade, o grupo consegue impor personalidade nas suas composições. Com um belo trabalho de guitarras, onde os riffs se harmonizam com as bases muito bem arranjadas, um baixo bastante pesado casando com uma bateria bem marcada e com vocais um pouco mais “limpos” do que de costume para o estilo, o resultado vem para agradar aos amantes do estilo.

Algumas faixas acabam se destacando, apesar do trabalho bastante homogêneo. Abduction, que tem belos riffs e um trabalho vocal de respeito, mostrando o talento de Rafael Valente, Hard Like Steel, mais cadenciada e com uma dose de peso extra proporcionada pelo baixo de Rafael Calmezini, Kill N’ Run, pesada e com riffs cortantes, Traveler, que tem uma cara de “power ballad”, a longa Queen of Darkness, que mostra a versatilidade da banda, com uma grande variação na composição, e tem um final com uma pegada bem tradicional, lembrando os riffs das bandas da NWOBHM e Agent of Chaos traz o encontro entre o tradicional e o moderno, principalmente no que diz respeito aos vocais.


Com um bom trabalho de estréia, o PHANTOM entra no rol das boas bandas que podem ingressar com destaque no concorrido cenário do Heavy Metal nacional. Boas composições, músicos de talento e muita garra garantem aos fãs do estilo, mais uma boa opção!


Links de acesso:


Tracklist:
01 Broadcast
02 Abduction
03 Hard Like Steel
04 Free Will
05 Kill'n'Run
06 Warned
07 Traveler
08 Queen of Darkness
09 Agent of Chaos
10 Hope

Formação:
Rafael Valente (Vocal)
Leandro Ramos (Guitarra/Backing Vocals)
Rafael Calmezini (Baixo/Backing Vocals)
Iago Marcondes (Bateria) – convidado


0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More