12 de julho de 2012

Entrevista: Phornax - A Fornalha Gaúcha

Phornax uma das revelações do underground gaúcho
Vindo dos pampas gaúcho, a jovem banda Phornax vem crescendo a olhos vistos na cena, com seu Heavy Metal tradicional onde alia belas melodias sem esquecer da agressividade que marca o estilo. Conversamos com a banda sobre seus primórdios, o momento atual da banda e sobre a apresentação histórica ao lado do Viper na capital gaúcha.

Com vocês a "Fornalha":

HAH: Hail Phornax, em nome do Blog Heavy And Hell gostaríamos de agradecer pela entrevista e antes de mais nada, gostaria de saber um pouco mais sobre os primórdios da banda e como foram os primeiros ensaios e as primeiras composições?

Cristiano Poschi: Nós é que agradecemos pela oportunidade e pelo espaço para podermos falar sobre a banda. Sobre os primórdios, a banda nasceu em 2009, com o passar do tempo e após a reformulação do line-up começamos a levar a coisa a sério e isso refletiu nas nossas composições e em todo aspecto como banda.

HAH: É evidente que a Phornax é 100 % Heavy Metal, sem frescuras e sem modismos. Na visão de vocês porque temos poucas bandas hoje em dia se dedicando ao verdadeiro Metal?

Thiago Prandini: Na real eu prefiro não escutar música para inspirar a compor. Sempre pensamos no peso e na "macheza" do som. Crescemos em um ambiente em que a vertente mais popular do Heavy Metal era o melódico. Deixamos isto de lado e preferimos seguir uma linha mais pesada e direta.


Mauricio Dariva: Vemos grandes bandas e músicos do passado que criaram algo que despertou o lado agressivo e positivo nas pessoas, criaram um Heavy Metal que trazia boas emoções e arrastavam multidões em busca desse único objetivo.



Cristiano Poschi (vocal)
HAH: Vocês lançaram duas musicas em formato de single “Silent War” e “Dare of Destruction” existe algum motivo para elas serem o cartão de visita da banda e como foi à repercussão entre o publico?

Cristiano Poschi: Elas foram lançadas primeiro, pois assim foram feitas. Também acreditamos que elas representam bem a força e a cara do nosso som. A repercussão em meio ao público foi muito boa, tivemos reviews nos principais sites, webzines da área além de reviews estrangeiros elogiando bastante o nosso som, só temos o que agradecer.

Thiago Prandini: É como o Cris disse, foram as duas primeiras músicas realmente compostas pela banda. Não houve critérios de escolha.


HAH: A arte da capa do EP “Silent War” é belíssima, conte-nos um pouco do processo de criação e qual o simbolismo por trás da mesma?

Cristiano Poschi: Quem fez a nossa capa foi o nosso amigo e parceiro João Duarte, ele é referência na área, graças à qualidade que ele consegue executar em seus trabalhos, com isto, mandamos algumas sugestões pra ele e a capa foi nascendo neste, digamos, bate e volta... Foi bem bacana.

Thiago Prandini: É. A ideia surgiu desde a primeira reunião sobre vários aspectos sobre a banda. Fomos amadurecendo e aperfeiçoando as ideias aos poucos até chegar ao resultado final.


Capa do EP "Silent War"
HAH: Após o lançamento do EP “Silent War” vocês anunciaram a saída do baixista Ederson Prado, e a entrada de Uesti Papeé como se deu esta escolha?

Cristiano Poschi: O Uesti é um músico completo, e se encaixou muito bem na nossa sonoridade,  ele já havia feito alguns shows conosco e o convite acabou sendo apenas consequência, acreditamos que acertamos em cheio na escolha.

Thiago Prandini: Conversamos muito e chegamos ao consenso de que a pegada do Uesti seria de grande soma para a banda.

Uesti Papeé: O som da banda tem muito haver com o meu estilo de tocar, que é de muita pegada. Espero poder contribuir muito ainda no som da banda.

Mauricio Dariva: Ele demonstra bastante empolgação, pegada e está se adaptando rapidamente ao estilo Phornax.
Novo baixista da banda: Uesti Papeé

HAH: A Phornax mostra em seu som uma personalidade forte e marcante, pois vocês conseguem mesclar agressividade com belas melodias sem soar clichê. Quais são as principais influencias da banda?

Cristiano Poschi: Como disse anteriormente acho que o principal é não se prender a rótulos e priorizar sempre a qualidade, sendo música boa com qualidade eu estou ouvindo.

Thiago Prandini: Valeu pelos elogios. Na real, creio que essa característica vem da variedade de músicas que escutamos. Eu particularmente evito escutar só um estilo musical, para não ficar "viciado".


Uesti Papeé: Bom eu gosto de alguns outros estilos de musica fora o Rock e Heavy também.


Mauricio Dariva: Gosto de escutar de tudo dentro do Rock, ouço do Heavy ao Death, mas na hora da criação tento não me apegar em nada.


HAH: Em um mundo que esta se “virtualizando” cada vez mais, na visão de vocês até que ponto é importante uma banda hoje em dia lançar seu material físico no mercado?

Cristiano Poschi: Acho que o lance do cara comprar o CD e ver o encarte, sentir o lance físico ali nunca vai morrer. Quem é fã mesmo sabe do que eu estou falando, então acho importante as bandas se preocuparem com isto e proporcionarem para seus fãs um material cada vez com maior qualidade, pois quem é fã sempre irá comprar o CD independente de ter a sua disposição as músicas para baixar e ouvir de graça, acho que nada substitui isso.

Mauricio Dariva (bateria)
Thiago Prandini: Complementando o que o Cris disse. Nós decidimos lançar um EP físico, por pensar com cabeça de fã, que quer ter tudo dos ídolos, conforme fazíamos quando adolescentes.


HAH: Como está sendo a divulgação do EP “Silent War”? Em algum momento vocês já tiveram propostas ou procuraram alguma gravadora para divulga-lo em outros lugares do Brasil e do mundo?

Thiago Prandini: No EP, preferimos gravar tudo de maneira independente por sermos "marinheiros de primeira viagem", então queríamos aprender o máximo possível sobre todo processo de gravação, para depois que formos gravar e/ou lançar algo por algum selo, estarmos muito mais ambientados com o processo de produção.

Mauricio Dariva: É... Neste primeiro momento, optamos em fazer o lançamento independente, mas pretendemos lançar o CD por algum selo ou distribuidora.


HAH: Ano passado vocês participaram das eliminatórias de um dos maiores festivais de musica pesada da America Latina o Cosquin Rock. Como surgiu o convite para participar das eliminatórias e o que somou de positivo para banda está participação?

Cristiano Poschi: Não podemos esquecer que participamos do Metal Battle também. Participar nestes dois festivais foi muito importante, pois amadurecemos bastante, somos uma banda jovem, completamos este mês 3 anos de existência e destes 3 apenas 2 consideramos realmente, então sermos convidados para festivais e shows importantes, assim, só nos faz ficarmos cada vez mais focados e com gana de subir no palco e destruir sempre.

Thiago Prandini (guitarra)
HAH: A Phornax já tem planos para lançar seu 1° álbum de estúdio?

Cristiano Poschi: Sim. Estamos em fase de composição, a banda está trabalhando nas composições, acredito que o povo vai se surpreender e curtir bastante o nosso primeiro CD que a principio será lançado ano que vem.

Thiago Prandini: É... Vem coisa nova por aí. Aguardem e espero que fiquem curiosos.


HAH: Como anda a expectativa para o show com o Viper e Scelerata no dia 21 de Julho no Teatro CIEE em Porto Alegre?

Cristiano Poschi: Para nós é uma honra tocar ao lado desses caras e também dividir o palco com o pessoal do Scelerata, inclusive o Gustavo Strapazon já tocou com a gente em um show, então estamos todos em casa, para este show estamos preparando algumas surpresas  e tenho certeza que o público headbanger vai curtir e bater muita cabeça com a gente. Gostaria de aproveitar o espaço para lembrar o povo que esteja lá por volta das 19H, pois o Phornax irá subir no palco por volta das 20h.

Uesti Papeé: Estamos muito empolgados para o show, esperamos realizar um grande espetáculo ao público e quebrar tudo lá!

Show histórico do Viper na capital gaúcha, marca as participações das bandas gauchas Scelerata e Phornax

HAH: Para finalizar, gostaria que vocês nos falassem os planos futuros da banda para este ano e deixasse uma mensagem aos leitores do Heavy And Hell.

Cristiano Poschi: Em nome da banda gostaria de primeiramente agradecer o espaço e dizer que estamos com uma série de shows pré-agendados aqui no RS e fora do estado também. Aproveito para convidar todo mundo que não conhece nosso som a conhecer, entrar no nosso site www.phornax.com.br e ouvir e também a irem aos nossos shows baterem muita cabeça... Bem é isto, um forte abraço e Stay Heavy!!!

Conheça mais a banda


Entrevista por: Luiz Harley / Renato Sanson
Revisão & Edição: Renato Sanson
Introdução: Renato Sanson
Fotos: Phornax / Divulgação








0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More