2 de novembro de 2012

Atomic Metal Zine: entrevista exclusiva com Maicon Leite

Maicon Leite 23 anos dedicado a cena Heavy Metal, um verdadeiro guerreiro do underground

O blog Atomic Metal Zine, conduziu uma entrevista exclusiva com o redator/produtor Maicon Leite (Roadie Crew, Hell Divine, Wargods Press) , no qual o mesmo fala de sua longa trajetória na cena, que já ultrapassa 20 anos, além de sua visão sobre a cena nacional e de outras curiosidades.

Confira abaixo alguns trechos da entrevista realizada por Allan Cunha e Karine Diógenes:



AMZ: Qual foi a matéria, crítica e reportagem que você mais gostou de escrever? Por quê?

ML: Sabe que nunca parei pra pensar nisso? Por exemplo, no próprio fanzine tenho alguns exemplos: entrevistar Krisiun e Torture Squad por carta social não tem preço! Isso foi em 1999... Quem nunca sentiu prazer (e ansiedade) em receber a tal carta depois de semanas? Já na Roadie Crew existem várias matérias que curti muito ter feito. Já se vão dez anos de colaboração e tive a chance de escrever muita coisa, seja entrevista, resenhas de CD’s, demos, shows, colunas em geral... Perdi as contas de quantos Roadie Collection (destacando do Ramones) e Hidden Tracks que já fiz, fora as dezenas de resenhas. Duas coberturas de festivais merecem destaque: Zoombie Ritual de 2011 por ter sido a melhor experiência que já tive de shows, e a cobertura do Metal Open Air...


AMZ: Dentre os inúmeros gêneros e subgêneros do Rock N Roll e Heavy Metal, quais os seus preferidos?


ML: Cara, curto de tudo, desde Pop até Grindcore, mas, tudo dentro dos limites do bom gosto. Existe muito radicalismo por aí, e, sinceramente, estou pouco me importando com o que vão achar do meu gosto musical. Ao mesmo tempo em que posso escutar Adele ou Coldplay, há a chance de ouvir Deicide e Nasum, sem nenhum problema. Quantas e quantas vezes tá rolando Beethoven, Krisiun, Simon & Garfunkel e Cannibal Corpse no playlist... É assim diariamente, radicalismo infundado não leva a nada. Apenas não ouço Metalcore, New Metal (que já tá ficando velho...) e afins. Música clássica é uma das minhas grandes paixões e faço coleção de CD’s e LP’s. Fico com pena de quem gosta apenas de um estilo musical, até mesmo dentro do Metal. Qual o problema em ouvir Venom e depois Helloween?



AMZ: Na cena metálica, você já deve ter visto de tudo um pouco. Qual o momento em sua carreira que você considerou mais polêmico?
ML: Vejo polêmica em tudo, e ultimamente tenho sido muito chato com várias coisas, principalmente com a burrice do povo Headbanger, que se julga superior às pessoas que ouvem outros estilos. Muito pelo contrário, a música não define a inteligência ou caráter de uma pessoa... Acho que o Facebook e as facilidades da internet tenham deixado grande parte dos bangers um tanto quanto paralisados mentalmente.


Para conferir a entrevista na íntegra acesse o link abaixo:


Nota por: Renato Sanson
Revisão & Edição: Renato Sanson



0 comentários:

Postar um comentário