23 de março de 2013

Resenha - Banda: DIstraught - Álbum: The Human Negligence is Repugnant (2012)




Dedicação e persistência, são alguns dos adjetivos que definem a carreira da banda porto-alegrense Distraught. 22 anos de história e muitas vitórias conquistadas, e no ano de 2012 podemos dizer que a Distraught lançou o álbum que consolidou de vez sua trajetória.

Estou falando do ótimo "The Human Negligence is Repugnant", que marca a estreia da nova formação do grupo em estúdio, que conta agora com o baterista Dionatan "Dio" Santos (In Torment), que já vinha tocando com a banda desde 2010.

Depois do lançamento de "Unnatural Display of Art" (2009), muitos duvidaram que a banda poderia lançar um álbum equivalente ou até melhor, mas acabaram mordendo a língua, pois "The Human Negligence is Repugnant" é ligeiramente superior, seja em termos de produção sonora ou composições, que soam mais diretas e melódicas.

Falando da produção do disco, o mesmo foi gravado no Estúdio Navarro (Canoas/RS) por Augusto Damé e foi masterizado/mixado no Mr. Som pelo mestre Heros Trench (Korzus), sendo assim já da para ter uma noção da qualidade que você irá ouvir.

O álbum em si apresenta riffs avassaladores e navalhados, com uma cozinha potente e técnica e com vociferações agressivas até os ossos comandadas por André Meyer, que despeja as letras mostrando total repulsa do grupo sobre as negligencias que acontecem em nosso mundo, com certeza letras que dão um tapa na cara dessa sociedade medíocre e alienada em que vivemos.

Bom, a parte sonora dispensa qualquer comentário, mas seria impossível não destacar as destruidoras "Borderline", "Psycho Terror Class", "Justice Done by Betrayers" (primeiro clipe do álbum) e a faixa título, uma verdadeira aula de Thrash Metal, refrões grudentos, riffs e solos em total sintonia, com uma cozinha no minimo explosiva, que fica a cargo de Dionatan (bateira) e Nelson Casagrande (baixo).

Vale destacar também " Infect" que é mais direta, mas não menos técnica e agressiva, e "Raise Your Flags" com seus riffs cavalares da dupla Ricardo Silveira e Marcos Machado. Ainda temos uma faixa escondida que é um cover impressionante de "Overkill" do Motorhead, que fecha o disco com chave de Metal.

Um dos melhores discos de 2012 com certeza, um nível de qualidade altíssimo com uma banda comprometida a dar o seu melhor. Ainda ha tempo de ressaltar a parte gráfica do trabalho, que é belíssima (méritos do artista Marcelo Vargo) e transparece bem o que a Distraught quer passar, em um disco agressivo e instigante. OUÇA E PERCA O PESCOÇO!


Conheça mais a banda


Assessoria: Metal Media




Formação que gravou o disco:
Andre Meyer (Vocal)
Ricardo Silveira (Guitarra)
Marcos Machado (Guitarra)
Nelson Casagrande (Baixo)
Dionatan Santos (Bateria)


Formação atual:

Andre Meyer (Vocal)
Ricardo Silveira (Guitarra)
Everton Acosta (Guitarra)
Nelson Casagrande (Baixo)
Dionatan Santos (Bateria)


Tracklist
1. Borderline
2. Psycho Terror Class
3. Justice Done by Betrayers
4. The Human Negligence is Repugnant
5. My God is My War
6. Gates of Freedom
7. Insane Corporation
8. Infect
9. Raise Your Flags
10. Lords of Corruption
11. Silent Face ("Overkill")

0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More