9 de setembro de 2014

Entrevista - Banda: Aneurose (MG)

Entrevista por: Renato Sanson
Fotos: Divulgação


Direto do "Triangulo Satânico" os mineiros do Aneurose lançaram em 2013 seu primeiro disco, sob o nome de "From Hell", onde apresentam um Thrash Metal mais grooveado e moderno. Trazendo boas melodias e muito peso.

Recebendo excelentes criticas desde o lançamento do disco conversamos com o vocalista Wallace Almeida, onde o mesmo nos fala do que acha do cenário nacional atual, da repercussão de "From Hell" e muito mais.

Confira agora mesmo:

Em 2013 vocês lançaram seu primeiro disco o ótimo “From Hell”, como está sendo a receptividade do mesmo? É o resultado esperado?

Wall: Cara, tivemos um cuidado especial na gravação do From Hell e estamos muito felizes com a repercussão dele. Todas as resenhas são muito positivas, o que mostra a aceitação da crítica especializada, e com o público não é diferente, só ouvimos elogios de todos que o escutam. Isso nos motiva a enfrentar os problemas e continuar na luta.

Vocês fazem um Thrash Metal fortíssimo, mas que apresenta boas melodias e bons toques de modernidade. Como foi moldar a sonoridade do grupo nesses últimos doze anos?

Wall: A forma com que compomos nossa música ajuda muito a ter essa sonoridade. Somos cinco caras com influências diferentes e respeitamos todas as opiniões. Quando um cara leva uma ideia pro estúdio, a gente ouve e a partir daí trabalhamos juntos na construção da música, agregando assim nossas características individuais. O tempo nos ensinou que não devemos nos prender a estilos ou rótulos, eu considero esse o diferencial.

Leia nossa resenha AQUI.
Aproveitando, conte-nos um pouco da trajetória do Aneurose até seu momento atual. E para quem ainda não conhece o som de vocês qual música recomendariam?

Wall: A Aneurose surgiu por força do Deus do Rock camarada (risos). Eu havia me mudado pra Lavras e estava tentando montar uma banda. Em um evento de rock, chamei um baterista e ele me disse que já tinha uma banda formada, faltando apenas o vocalista (risos). Na semana seguinte começamos os ensaios e foi um entrosamento perfeito. Depois disso compomos diversas músicas, começamos a tocar por Minas Gerais e ganhamos uns festivais, até que em 2009 tivemos que dar uma pausa nas atividades. Retornamos em 2011 com nova formação e um projeto definido para a gravação do From Hell. Hoje estamos na turnê de lançamento dele. É um trabalho que me orgulho muito, e sempre que alguém me pede uma sugestão do que ouvir eu indico pelo perfil do cara. Esse disco tem uma dinâmica legal, então se o cara gosta de velocidade sugiro Aneurose, se quer bater cabeça vai de Black Widow ou Train From Hell. Também temos um clipe no ar, da música Hunting Knife, vale a pena conferir.

O Aneurose vem de uma das cenas Metal mais forte do Brasil e conhecida mundialmente. O famoso “Triangulo Satânico” de Minas revelou e revela muitas bandas metálicas de alto nível. Como é na visão de vocês o cenário mineiro?

Wall: Você tem razão! Somos privilegiados em estar em Minas Gerais, aqui é uma mina para o Rock! Como não ter orgulho de um estado com tantas bandas foda?! Estão na ativa em Minas, Tuatha de Dannan, Chakal, Drowned, Eminence, Lothloryen, Overdose, Motosserra, Tray of Gift, Ex-Machina, Kernunna, Ódio ao Extremo, Soul Inside, Aneurose, entre outras grandes bandas. O circuito aqui é fortíssimo e conta com eventos como Roça’n’Roll, Triumph Metal, Kebra Ossos, Rock in Hill, Rock nas Alturas, Abril é Rock, Miojada, Lavras é Rock e outros que estão surgindo, como o Aneuródio Festival e o Tonelada Rock Fest. Sou um afortunado de fazer parte desta cena, aqui o trem ferve!


E em relação ao cenário nacional em si, vocês têm acompanhado as bandas novas? Quais bandas estão ouvindo no momento?

Wall: Estamos correndo o país com a Tour From Hell e por onde passamos nos surpreendemos positivamente com a qualidade das bandas nacionais. Eu coleciono discos e sempre compro independente de ser uma banda famosa ou não. Ultimamente tenho ouvido Forkill, Kernunna, Hellarise e Aneurose, sempre ouço nosso disco (risos). O grande problema é que existe uma competição entre bandas, isso não é saudável, na verdade o que no geral a cena precisa é de união. A galera precisa enxergar que se agirmos pelo interesse do coletivo às coisas ficam mais fáceis.

Já existem planos para um novo disco?

Wall: Na verdade nosso foco agora está na divulgação do From Hell, em setembro ele faz um ano do lançamento e vamos relança-lo pelo selo Extreme Hatred Records com direito a uma faixa bônus inédita. O From Hell será distribuído em todo país, em lojas especializadas e nas grandes magazines. De qualquer forma, para nós, compor é um vício, todo ensaio tem música nova saindo, então no momento oportuno nós teremos muito material legal para o próximo disco.


O cenário nacional vive um momento difícil onde os shows estão cada vez mais vazios e as bandas underground recebem cada vez menos apoio. O que vocês acham que poderia melhorar para sairmos dessa decadência.

Wall: Cara, só vejo uma saída para a manutenção da cena nacional, A UNIÃO. O que vemos é uma disputa entre músicos e bandas, como se todos concorressem pelo mesmo espaço sempre. Tem espaço pra todo mundo, e se trabalharmos juntos, de forma organizada, não tenho dúvidas que conseguiremos aumentar o número de eventos e o público presente neles, com uma forte divulgação feita por todos. Existem muitos produtores sérios, que apoiam a cena ao invés de se apoiar nela, a ideia é valorizar o trabalho deles, e evitar os parasitas. O músico precisa se valorizar para que o público também valorize.


Conheça mais a banda:






0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More