18 de agosto de 2015

Resenha - Banda: Sistema Sangria - Álbum: Sistema Sangria (2015)

Resenha por: Renato Sanson


Com uma agressividade pulsante e não se preocupando em soar moderno ou original, o Sistema Sangria lançou em 2013 seu Debut autointitulado, mas que só foi ganhar sua versão em CD neste ano (antes tinha saído em vinil 12” tiragem de 300 cópias).

Sendo assim esses paulistas mostram o poder do Hardcore nacional, não poupando críticas ao sistema, e muito menos os ouvidos alheios, que certamente poderá sangrar os dos não iniciados.

Ao total são mais de 26 faixas, mas que passam como uma bala, com composições rápidas e agressivas, lembrando bastante o RDP nos discos “Brasil” e “Anarkophobia”.

A produção sonora foi feita no famoso Mr. Som por Marcelo Pompeu e Heros Trench, e, diga-se de passagem, que ficou excelente, sem timbres datados, e com o som bem na cara, o que deixou a sonoridade da banda ainda mais violenta. A prte gráfica é simples, mas funcional, lembrando as bandas de HC dos anos 80, méritos do artista Luiz Angelelli.

Musicalmente não temos novidades é HC violento regado por passagens mais Crossovers, como em: “Tem Culpa Eu”, “Mallucifer”, “Mensalão”, “Barak” e “Policeman” (cover de Nitrominds que ficou excelente).

Uma boa estreia que agradará em cheio os fãs de Hardcore.


Links de acesso:


Tracklist:
01 Cagaram No Mundo
02 Tem Culpa Eu
03 Corpo Fechado
04 Oca Sinistra
05 Jogaram uma Macumba das Malditas pra Você
06 Mensalão
07 Mallucifer
08 Fumo Zero
09 Pátria Armada
10 Ramelão
11 Moh Dzspero
12 Feitiço Da Morte
13 Alienação
14 Barak
15 Bonde Sinistro
16 Nada Mudará
17 Vá Em Frente
18 Disposição para Lutar
19 Uma Arma
20 Planalvo
21 Fatal
22 Segredos de Estado
23 Vontade de Matar
24 Mortoqueiro
25 Maicon do Sertão
26 Isso que é Roubar
27 Fim do Mundo
28 Vá se Virar
29 Policeman (cover Nitrominds)


Formação:
Antonio Carlos (Vocal)
Fábio (Guitarra)
Nader (Baixo)
Igor (Bateria)




0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More