7 de setembro de 2015

Resenha - Banda: Mad Dragzter - Álbum: Master Of Space And Time (2015)

Resenha por: Renato Sanson


Nove anos se passaram desde o lançamento de “Killing The Devil Inside”, onde o Mad Dragzter se consolidou de certa forma no cenário Thrash nacional. Porém alguns problemas rondaram a banda desde então, levando a uma pausa, que durou bastante tempo.

Então em 2015 os paulistas ressurgem com seu mais novo álbum “Master Of Space And Time”, que traz todo o poder de sua sonoridade, mas um pouco mais direta e melodiosa. O que pode gerar certa estranheza nos fãs que já acompanhavam a banda é o direcionamento lírico, que agora vem “forte” (de certa forma) com cunho religioso.

Sobre está questão, o líder Tiago Torres (Vocal/Guitarra) falou em certa entrevista que o álbum novo é conceitual, tendo um tema filosófico em volta, o que torna as 15 músicas do disco uma continuação da outra.


Sendo assim temos um álbum longo, rápido e com boas melodias, o que pode-se dizer sobre ser “longo” é o que tornou um pouco maçante, e o uso de fade out em algumas composições também soa desnecessário.

Em suma temos composições aguerridas e com uma enxurrada de riffs, que soam complexos e intrincados, que se entrelaçam com boas melodias e solos, com uma cozinha correta e técnica e com vocalizações em tons normais, mas agressivas.

Por se tratar de um disco de grande duração (um pouco mais de 1 hora) se torna complicado a questão de soar marcante, pois são 15 faixas que em média duram entre 4, 5 min, o que posso dizer que foi o que de fato tirou o “brilho” do álbum, pois como estamos falando de uma banda de Thrash Metal, um trabalho longo de mais nem sempre caí bem (mesmo sendo um clássico, o “...And Justice For All” do Metallica é um bom exemplo sobre este certo exagero).

A produção sonora soa seca, mas clara, o que deixou o som mais vivo, sem ser essas “superproduções” artificiais que muitas bandas vêm recorrendo. A parte gráfica é bem trabalhada, e entrega de certa forma o tema lírico das composições.

O Mad Dragzter voltou e voltou bem, mesmo pecando em alguns quesitos “Master Of Space And Time” ainda é relevante e marca um novo recomeço.

Links de acesso:


Formação:
Tiago Torres (Guitarra/Vocal)
Gabriel Spazziani (Guitarra)
Eric Claros (Bateria)
Armando Benedetti (Baixo)

Tracklist:
01 Almighty
02 Valley Of Dry Bones
03 Master Of Space And Time
04 5708
05 Megiddo
06 Gehenna: The Second Death
07 King of Kings
08 Army Of Truth
09 Sons Of Thunder
10 The Man By The Pool Of Bethesda
11 One Nation, One Church
12 From Emptiness To Infinity
13 Vox Spiritus Sancti
14 Wrath Of God
15 New Heaven And New Earth


0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More