10 de abril de 2016

Resenha - Banda: Circle II Circle - Álbum: Reign of Darkness (2015 - Shinigami Records)

Resenha por: Renato Sanson


Quando se fala de Zak Stevens é inegável liga-lo ao Savatage, já que lá entregou ótimos trabalhos e de fato se consagrou como vocalista. Mas olhando para o presente e para um passado não tão distante, em 2001 nascia a nova banda do vocalista, o Circle II Circle, onde todos esperavam algo semelhante ao Savatage, mas Zak foi além e achou de certa forma o seu caminho.

Ainda com referências claras de Savatage nos primeiros discos, foi em “Burden of Truth” (2006 – 3° álbum da banda, o famoso vai ou racha) que o CIIC se livrou das amarras e construiu algo mais peculiar, com a cara de Zak, mas sem ligar ao seu passado, em uma abordagem mais obscura, pesada e emocional.

Porém parece que pós este lançamento tanto o CIIC como o próprio Zak perderam um pouco de sua inspiração, lançando bons álbuns, mas não encontrando a sonoridade ideal que conseguiram em “Burden of Truth”. Pós algumas mudanças na formação (onde os brasileiros Marcelo Moreira (bateria) e Bill Hudson (guitarra) foram adicionados ao grupo) o Circle II Circle lançou em 2015 seu 7° álbum da carreira, “Reign of Darkness”, que chega ao Brasil via Shinigami Records.

O que podemos observar de diferente em “Reign of Darkness” é sua obscuridade que volta a rondar a sonoridade da banda, assim como passagens mais progressivas e melodias mais tristes, trazendo mais emoção as composições.

Mas o novo lançamento de certa forma se conecta ao Savatage assim como os dois primeiros álbuns do CIIC (“Watching in Silence” – 03 e “The Middle of Nowhere” – 05), há uma áurea mais densa e obscura (mérito para as linhas de teclado de Henning Wanner), assim como peso e agressividade, deixando as melodias alegres de lado, trazendo à tona um Zak Stevens mais interpretativo e emocional, com sua bela voz característica mostrando estar em grande forma. Esse peso e agressividade deve-se muito aos ótimos riffs da dupla Bill e Christian Wentz e também do baterista Marcelo Moreira, que mesmo mais contido entregou um trabalho pesado e consistente, tendo ótimas linhas de pedal duplo e viradas bem trabalhadas, dando também aquele ar mais progressivo, que aparece nos solos e no baixo de Paul Michael.

O que notamos de positivo em “Reign of Darkness” é que podemos perceber um CIIC renovado, mas conectado ao seu passado, trazendo um reencontro a sua sonoridade, mostrando estar novamente no caminho certo, e percebemos isso logo de cara com “Victim Of The Night”, “It's All Over” ou “Solitary Rain”. O ponto negativo vai para certas semelhanças com Savatage, não me entendam mal, pois adoro Savatage e o trabalho de Zak na banda, mas quando o CIIC surgiu, Zak mostrou que poderia seguir em frente sem essa sombra, e provou isso em “Burden of Truth”, e com essa reestruturação na atualidade, Zak e o Circle II Circle podem sim entregar muito mais do que se sentir preso ao passado.


Links de acesso:


Zak Stevens - Lead Vocals
Mitch Stewart - Bass/Vocals
Christian Wentz- Guitars/Vocals
Bill Hudson - Guitars/Vocals
Henning Wanner - Keyboards/ Vocals
Marcelo Moreira - Drums

Tracklist:
01. Over-Underture
02. Victim Of The Night
03. Untold Dreams
04. It's All Over
05. One More Day
06. Ghost Of The Devil
07. Somewhere
08. Deep Within
09. Taken Away
10. Sinister Love

11. Solitary Rain

0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More