3 de julho de 2016

Resenha - Banda: Lost Society - Álbum: Braindead (2016 - Shinigami Records)

Resenha por: Uillian Vargas
Revisão/edição: Renato Sanson


Quando alguém fala que quer lhe apresentar uma banda nova, as antenas da curiosidade já acionam. Mas quando alguém fala que quer lhe apresentar uma “nova banda Finlandesa”, desse ponto em diante a curiosidade dá lugar a expectativa. “Braindead” é o terceiro trabalho (full-length) da Lost Society, uma banda relativamente jovem (iniciada em 2010). As influências atravessaram o Oceano Atlântico Norte e cravaram o sinalizador na Bay Area thrash metal e ainda que recém-lançado, é impossível não se sentir saudosista ao escutar. O disco trás composições de pura simplicidade (pouca embolação e muita música direta) que em muito lembram as coposições de bandas de thrash metal da década de 90.

Suave e tranquilo como um “elefante branco dentro de uma loja de cristais” o disco começa com “I Am The Antidote” com guitarras alinhadas e bem costuradas. É um bom começo alias, com uma pegada mais “groovada” e vocal mais ameno, prepara o terreno auditivo para os próximos passos. “Riot” já não tem esse cuidado, entra pela porta da frente e desfere uma bela tacada na nuca. Daqui em diante o ritmo é esse mesmo, sem muita delicadeza Samy Elbanna conduz as execuções com um vocal frenético tal qual um maníaco descontrolado.

Um prato cheio para quem curte Municipal Waste, Children of Bodom e Gamma Bomb. Alinhando uma definição geral, “Braindead” traz composições mais sóbrias e maduras, da ”Lost Society”, se comparado aos trabalhos anteriores. Outros pontos altos do disco são “Rage me Up” (aqui fica complicado definir o mais frenético, se guitas ou o vocal) e “Hangover Activator”. E se veio em alto estilo até aqui, a “estileira” só aumenta quando a banda evoca o maior símbolo do thrash metal noventista, com o cover de P.S.T. 88 – do Pantera (1988 - porém aqui, numa faze glam quase power metal). No Brasil, “Braindea”d chega aos nossos ouvidos através da Shinigami Records, então vai no face da Lost Society e cata o máximo de material por lá.

Formação atual:
Samy Elbanna - Guitarra, Vocal;
Mirko Lehtinen – Baixo;
Ossi Paananen – Bateria;
Arttu Lesonen – Guitarra.

Selo: Nuclear Blast, Ward Records (no Japão). No Brasil distribuído pela Shinigami Records

Faixas:
1 - I Am the Antidote
2 - Riot
3 - Mad Torture
4 - Hollow Eyes
5 - Rage Me Up
6 - Hangover Activator
7 - Only (My) Death Is Certain
8 - P.S.T. 88 (Pantera cover)
9 - Terror Hungry (Californian Easy Listening Version)



0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More