12 de janeiro de 2017

Resenha - Banda: Equilibrium - Álbum: Armageddon (2016 - Shinigami Records/Nuclear Blast)

Resenha por: Renato Sanson


O grande diferencial do novo álbum dos alemães do Equilibrium foi a maturidade que conseguiram alcançar em “Armageddon” (5° da carreira).

Se antes tínhamos uma sonoridade mais alegre e até mesmo boba com seu Folk/Symphonic Metal exagerado, o novo trabalho traz uma banda madura e não tão focado em momentos tão alegres, mas sim mais obscuras e abordando temas mais reais, claro que alguns fantasiosos, mas nada exagerado.

Os instrumentos clássicos do Folk como cordas acústicas e flautas soam bem dosados, assim como as passagens mais alegres, que soam bem mais contidas, dando espaço para um som mais sério e agressivo, com guitarras bem construídas, que aliadas a melodia e sinfonia dos teclados caíram muito bem. Sem contar as boas linhas vocais que trazem a agressividade à tona, com guturais e screams bem postados.

A produção cinematográfica beira a perfeição, mas em nada tira o brilho das composições, muito pelo contrário, onde ganharam mais pompa em faixas que soam como trilha sonora de guerras medievais.

Quem sabe a saída dos membros fundadores (Andreas Völkl (guitarra) e Sandra Van Eldik (baixo) – que saíram em 2014) tenha dado um novo rumo ao Equilibrium, e mostrando que tal mudança fez muito bem a sonoridade do grupo.

Maturidade e crescimento musical marcam “Armageddon”.


Links de acesso:

Formação:
Robert "Robse" Dahn - Vocal
René Berthiaume − Guitarra
Dom R. Crey - Guitarra
Tuval "Hati" Refaeli - Bateria
Marcus "Makki" Solvalt – Baixo

Tracklist:
01 Sehnsucht
02 Erwachen
03 Katharsis
04 Heimat
05 Born to be Epic
06 Zum Horizont
07 Rise Again
08 Prey
09 Helden
10 Koyaaniskatsi
11 Eternal Destination

0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More