22 de agosto de 2021

Resenha – Banda: Crossplane – Álbum: Class of Hellhound High (2021 – Shinigami Records)

Resenha por: Renato Sanson


Muitas bandas acabam por passar despercebidas pelo público, ainda mais se não chegam ao nosso mercado. 
A Crossplane ganhou certo conhecimento em solo nacional devido a sua sede de palco e por apresentações cheias de energia, sendo comparado aos deuses do Motorhead.

Podemos dizer que os alemães são uma versão aditivada dos ingleses, mas claro, sem toda aquela malicia que só Lemmy & Cia conseguiam.

Mas é inegável que “Class of Hellhound High” (originalmente lançado em 2013, mas chegando ao Brasil oficialmente somente em 2021) tem muita qualidade e é um belo Rock N’ Roll com influencias de Metal aqui e ali, e até mesmo pequenas pitadas do Metal Extremo.

Simplicidade e feeling são a ordem no Debut e a voz de Marcel Mönnig (que também cuida de uma das guitarras) soa descaradamente como a de Lemmy e que casa muito bem com a proposta, pois a ideia aqui não é inovar, mas sim fazer o som que se gosta sem pressão ou invencionices.

“Class of Hellhound High” traz ainda as participações especiais de Shagrath (Dimmu Borgir) nos vocais em “I Will Be King”, da voz monstruosa de Marc Grewe (ex-Morgoth) em “Bring the Fire” e de Sebastian ‘Sebi’ Beyer (Massendefekt) nas vozes de “Dirty Woman”.

Penso que o Crossplane é um tributo ao Motorhead e a todo o bom Rock N’ Roll que se preze. 

Uma audição divertida que deve constar em sua coleção ou playlist.

 

Links:

http://crossplane.de/

www.facebook.com/crossplane.band

www.instagram.com/crossplane_official

 

Tracklist:

1. Bring the Fire

2. Killing Machine

3. Take It or Leave It

4. Can’t Bring Me Down

5. Hellride

6. Dirty Woman

7. Rollin’

8. The King of All Rock ‘n’ Roll Demons

9. Easy Lay

10. Balls

11. I Will Be King

12. Medusa


Formação:

Marcel “Celli” Mönning (guitarra/vocal)

Alex Störmer (guitarra)

Andrew Barrett (baixo)

Mark “Bridgeman” Brückmann (bateria)

 

0 comentários:

Postar um comentário